Send As SMS

« Home | Liberdade Dignidade » | Maker Faire » | Um dia ainda vou escrever uma série de televisão I... » | Um dia ainda vou escrever uma série de televisão I... » | Um dia ainda vou escrever uma série de televisão I... » | Cartaz da Queima » | O mundo está cheio de imbecis.! Todos concordam, ... » | O catálogo do IKEA é... » | E o mexilhão come o que lhe dão a comer... » | Are our kids allright?! »

Algum de voces sabe o que está a pedir?





Numa hora destas devia estar a dormir; concordo plenamente. Quando não dá, não dá; vim ver se alguma coisa se passava na bodega da Internet. Fui então investigar um dos assuntos que dia após dia me inquieta cada vez mais. O assunto toca a muitos, mas se tem que ser falado, pois que o seja! As pessoas hoje em dia não acreditam. Não acreditam em nada. Falam em Liberdade (um valor inquestionável por quem muitos batalharam), constroem castelinhos cor-de-rosa no ar e na sombra da Liberdade não só perdem a bússola da Dignidade, como caminham cegamente, na ingenuidade iludida pela ideia que o caminho mais justo será o mais curto.Ai de quem me vier com histórias! Quem acredita nessa ideia penosa e assassina da despenalização do aborto, não acredita em processos de estruturação e de evolução de mentalidades! Ao abrigo de um processo simples, mas cruel de, dentro de um leque de meia dúzia de opções sádicas, que desfragmentam o início de uma Vida; um ser que, mesmo “inconsciente” (como alguns dizem, cientificamente provado), reage desesperadamente a tubos e bisturis. Isso é que é cientificamente provado e ninguém quer ver, porque um conjunto de células também eu sou!
Processos de evolução de mentalidades, seriam aqueles em que a quase totalidade dos defensores do aborto não acredita, pois se, como eu, acreditasse, nunca estaria a defender uma ideia tão pragmática, tão inqualificável sob tantos pontos de vista. Sim, eu posso falar à vontade, porque eu acredito em ideias como Esclarecimento de Jovens, EDUCAÇÃO SEXUAL, é preciso repetir?! Eu repito: EDUCAÇÃO SEXUAL, URGENTE, WANTED, SIM, AQUI, SALVEM-NOS! Ai a Educação Sexual é má?! Traumatiza os meninos, coitadinhos… mais vale irem engravidar as colegas, para depois irem a uma clínica a Espanha ou a uma casa de banho pública, para uma enfermeira sebosa ou um médico milionário sem escrúpulos os redimirem da brincadeirinha ingénua, não é?
Não, ninguém ouve, só ouvem aborto e liberdade de escolha da mulher (se mata o filho ou não?). Acompanhamento de mães solteiras e grávidas adolescentes…não, uma utopia autêntica, toca a cortar caminho, tudo pede o aborto… Planeamento familiar, benefícios a famílias numerosas e, especialmente a famílias pobres, não?...é, parece que nisto também ninguém acredita, por isso cortam caminho… Se o sexo (ou inibição para tal) os incomoda assim tanto, que não seja por isso, preservativos, pílulas, sessões de esclarecimento incessáveis para todos! A inconsciência, o baratear e o banalizar de ideias como sexo, virgindade, “ir para a cama com”, etc. estão longe de levar alguém a algum lado, mas entre isso e a violação do Direito á Vida, força na distribuição dos contraceptivos. Ou antes preferiam agulhas de croché?
Responsabilização dos pais e legislação controladora? Pelos vistos, os defensores do aborto são ainda mais machistas que eu, aborta-se e vivem todos felizes; pena que apenas vivam aqueles a quem se deu esse Direito. Também ninguém acredita em facilidades de adopção nem em apoio social, falo em APOIO SOCIAL ASSÉRIO a crianças desfavorecidas, não em brincar à caridade e aos pobrezinhos.
Enfim, de facto, dá menos trabalho e custa menos dinheiro abortar, ideia curiosamente defendida por aqueles a quem a economia até nem interessa tanto ao lado de problemas sociais e humanos (alguém me explique este antagonismo se conseguir).
Tudo quer cortar caminho. Seja com um bisturi, com um “aspirador”, com uma tesourinha, com uma seringa, para alguns até podia ser com a vara do óleo do carro…
Com o pragmatismo ao serviço da Liberdade, entramos num mundo tenebroso, semelhante aos bairros da América Latina - e eu sei que eles não existem apenas nos filmes, porque se há alguém alertado para problemas sociais, esse alguém sou eu! – entramos num mundo para lá do cruel, em que uma vida humana não tem qualquer significado, em que qualquer um dá um tiro, onde a vida e a morte passam a ser termos apenas relevantes em números e estatísticas. Qualquer dia os pedidos de aborto, solicitam também a pena de morte e, então aí temos o pack duplo de retrocesso social, moral, ético, político, humano, etc. asseguradíssimo.

Por isso, nesta altura em que começam as mentes a exaltar-se e a brincar com o fogo através de referendos e macacadas, venho eu fixar a minha posição. Contra tudo e contra todos, sozinho ou acompanhado lutarei contra o aborto até ao fim! Lutarei com a mesma convicção com que sempre hei de defender todos os caminhos para a estabilidade social que acima apresentei e ainda mais aqueles que vier a conhecer e a aprender sempre que investigar esta temática que muito me diz e interessa!

ABORTO NEM PENSAR, PENA DE MORTE NUNCA!
É este o meu combate, aguentem-no! Que esteja comigo quem quiser, que venha contra mim quem tiver coragem, pois tão cedo não vou tombar.

E há problemas gravíssimos advenientes da falta de condições e de meios básicos das famílias, claro que há! Agora, o pragmatismo nada fará a não ser agravá-los sob a ilusão nítida que com o aborto tudo fica bem, enquanto ao mesmo tempo brincamos à caridade e aos pobrezinhos.

Aborto como medida anticontraceptiva nunca. Agora aborto quando as condições sócio-económicas dos pais são precárias concordo plenamente. Como é que uma mãe, de 18 anos ou menos, sem qualquer tipo de qualificação que trabalha arduamente para conseguir algum dinheiro pode ter condições para criar uma criança?Este exemplo nem é o pior cenário possivel..Acho que preferivel, para a crinaça nem sequer nascer do que ter que passar por um verdadeiro inferno. Não te iludas, se o meio em que se vai inserir não for minimamente cómodo, em principio, irá haver uma inflicidade tanto dos pais como do bébé...

É o que vale, neste Bandeirinha - sempre uma pessoa moderada. Gosto, sobretudo, do primeiro parágrafo. O beato de Brasfemes não diria melhor...
Enquanto a discussão sobre este tema não se livrar do maniqueísmo que a corrompe, é totalmente desnecessária, contraproducente e redundante...

"(...)Quem acredita nessa ideia penosa e assassina da despenalização do aborto, não acredita em processos de estruturação e de evolução de mentalidades!(...)"

É isso mesmo! São todos uns mauzões e uns sádicos! Conhecendo-me como me conheces, Bandeirinha, sabes que sou totalmente contra a sensibilização/ consciencialização dos jovens! Conhecendo a minha posição, Bandeirinha, sabes que quero abortos no supermercado! Conhecendo-me como me conheces, Bandeirinha, sabes a leveza com que trato o tema! Desculpa que te diga, mas há parágrafos neste teu texto (sim, como o supracitado) que têm um je ne sais quoi de...debate Louçã/ Portas. E deixa-me que te diga que estranhamente, a tua argumentação está a tombar para o lado Louçã (“Você não sabe o que é o sorriso (com uma irritante acentuação do errrre) de uma criança!”). Ora, há algo que me diz que não foi este o efeito pretendido...

John: eu teimo em acreditar que as medidas que apresentei sejam de extrema importãncia para o combate a essas deigualdades e para todas essas situações injustas. Mas, como disse nessas medidas ninguém tem tomates para acreditar

Pedro: com todo o respeito, desengana-te de pensas que fiz o texto a pensar em ti nem em ninguém. Sei que acreditas alguma coisa, mas nunca na totalidade (como eu). Se acreditasses na totalidade, nem sequer punhas em causa o pragmatismo do aborto.
Para além disto, convém lembrar ainda que tu és um defensor moderado. Não tenho qualquer dúvida disto.
Ainda mais, ao avaliar pela quantidade assustadora de colegas (que se têm alguns problemas, de certeza que não são económicos) que me dizem prontamente que se tivessem um filho, do/da namorado/a ou não, recorriam ao aborto de imediato. Por aqui, podes ver como a nossa socieade tem maturicade e conciência para ser livre de escolher matar ou deixar viver os filhos...

O aborto só é proibido aos pobres!
Os ricos vão a espanha!

Band...
Tocas num dos temas em q mais duvidas tenho... Mas so uma pergunta: em casso de violação sera q essa tua posiçao (q defendo em variados pontos!!) se mantem? Imagina uma miuda (quem diz miuda, diz mulher) q é violada e engravida!!! Nao me digas q neste a tua posição permanecesse precisamente a mesma... Se agravarmos a situação e imaginarmos q essa mesma pessoa vive uma situação de vida em q mal tem dinheiro para se sustentar... A tua opinião mantem-se? É q tens de ver q ha casos e casos... Há casos de miudas (ninfomaniacas?) q dormem c tudo o q mexe e ha os casos q apresentem...

Abraço...

Pronto, a tua posição não é propriamente politicamente correcta, mas vá, quanto a mim focas-te o problemazito de uma optima prespectiva. É bom saber que ainda os há aí pra lutar contra a maré d0o seguidismo das conveniências pragmáticas! Continua assim!

"Seguidismo e conveniências pragmáticas"? Quem vos ouvir falar qté pensa que a maré está a favor da despenalização...

E é...obviamente!

A questão da violação está prevista na lei. Concordar, penso que não (nem que lhe aplicassem aquela pílula que interrompe a fecundação - mesmo assim, não é o mesmo...). A questão não se devia prender apenas ao abortar ou não, já que isso constitui apenas uma parte de um grande problema. Para além de um filho, uma violação deixa enormes traumas na mulher e na sociedade, etc... No entanto, mantenho uma certeza: emora nunca ninguém venha a acabar com as violações; penso que a prioridade deve ser o acompanhamento das mulheres violadas e uma lei justa, ao ponto de distinguir uma raparigaque foi cruelmente violada de uma pita inconsciente que vai "dormir" com A, B e C. Essa não precisa de abortos, mas sim de informação e sensibilização.
Ricardo e Pedro: Não tenham quaisquer dúvidas que, por muito que me custe, a corrente vai para o lado da despenalização e em grande massa! Ainda mais com este anormal deste 1º ministro.

Em Portugal imita-se cegamente o estrangeiro. Um país mediocre que não sabe o que é distinguir-se pela positiva. Mesmo que seja diferente para melhor, é um país que tem que fazer como "lá fora", servindo isso de pretexto para mudar sempre tudo para bem ou para mal (como neste caso)...

Abraço para todos

"(...)a corrente vai para o lado da despenalização e em grande massa!(...)"

Sim, como comprovou, aliás, o referendo de 98...E tinhas um Governo PS! Parece-me que não é assim tão "óbvio"...
Mas é óbvio que espero que vocês tenham razão! E que, mais que ganhe o "SIM", este tenha força vinculativa...

fazes então parte daqueles que menciono no meu texto...

Exacto, Bandeirinha! Sádicos e que não acreditam em coisas tão polidas como "processos de evolução de mentalidaes"...Confirma-se o que penso (com alguma pena): quem não partilha da tua opinião está provavelmente situado num patamar (intelectual?) inferior...

Resta-me concluir que, ou não entendeste o que penso em relação ao assunto, ou não queres entender...Aviso-te desde já que pouco posso (e quero) fazer para resolver alguma destas situações...Estou firme e de consciência tranquila em relação aquilo que penso...

Uma pessoa que não deu a devida seriedade ou o devido tempo de reflexão que eu dei ao assunto (ultimamente não paro de ler assuntos relacionados), não é necessáriamente diminuida de intlecto, mas sim irreflectida. Como eu disse, é bem mais fácil ser, como voces gostam de ser chamados "pro-escolha"...

Uma pessoa que não deu a devida seriedade ou o devido tempo de reflexão que eu dei ao assunto (ultimamente não paro de ler assuntos relacionados), não é necessáriamente diminuida de intlecto, mas sim irreflectida. Como eu disse, é bem mais fácil ser, como voces gostam de ser chamados "pro-escolha"...

Hoje em dia, sim! É bem mais "correcto" ser a favor! Embora tenha havido tempos em que foi ao contrário.

Como assim, "é bem mais fácil ser"?

Mas quem te garante a ti que não li/ reflecti o suficiente sobre o assunto? Ah, então isso? quem não partilha deste teu ponto de vista não reflectiu o suficiente?
Ah, e é mais "fácil" ser a favor?! É mais "correcto"?!

Fim à discussão nestes termos, diria eu...

Enviar um comentário
A Mesa de Café

Imprensa Desportiva

a mesa de café Blogger